quinta-feira, 23 de outubro de 2014

Simchat Torá




Simchat Torá ou Simches Toire ou Regozijo da Torá (em hebraico שמחת תורה ) é o nome da festividade que ocorre no oitavo dia após Sucót.Neste dia encerra-se e reinicia a leitura anual da Torá, como lembrança da sua eternidade .
"No oitavo dia você será santo convocação para vós, você deve apresentar uma oferta ao Senhor, e não farás trabalho algum" (Devarim 23:36).

No oitavo dia de "Atzeret" (descanso), a expressão "Todo o trabalho que você vai fazer neste dia" não pertence, mas Sucot é uma celebração em si mesmo, como diz o Midrash Rabbah: "Depois de quase um mês de convivência contínua com a Divindade, Deus vem e nos pede para parar mais um dia com ele. "

Neste dia, ela termina e começa outra vez com a leitura da Torá e isso vem em nome de Simchat Torah , porque o estudo e realização da Torá deve ser feito com alegria.

No serviço de Simchat Torá é habitual para remover todos os Sifre Torah (rolos da Torá) e dança diante deles como um sinal de alegria, como quando o rei Davi trouxe a Arca da Aliança para Jerusalém, e, assim como o Profeta Samuel (Shmuel), o próprio rei dançou diante da Arca como um dos au.

Costuma-se repetir a leitura da Torá quantas vezes for necessário para que todos os fiéis a "subir" para o Teba e, geralmente, também trazem todas as crianças menores de 13 anos a subir para ler juntos.

Quem acaba como a partida a leitura do Sefer Torá, eles são chamados de " Jatné Torah "(namorados Torah) que tendem a convidar os participantes a um Kidush festivo, expressando alegria pela honra recebida no mesmo dia.

Shemini Atseret



Shemini Atzeret, é a festa da conexão do Oitavo Dia de Assembléia, de acordo com o judaísmo. Depois de completar os sete dias de Sucot, o Oitavo dia significa que o judeu quer permanecer mais um dia na Sucá (na presença Divina).Shemini Atzeret, que significa "o oitavo dia de reunião," é um feriado judaico bíblico que se segue a festa judaica de Sucot. Está escrito: "No oitavo dia, você deve realizar uma reunião solene, você não deve trabalhar em sua profissão" (Números 29:35).

Orando por chuva 

Shemini Atzeret marca o início da estação chuvosa, após a colheita em Israel. A oração por chuva, Tefilat Geshem , é o único ritual que é exclusivo para Shemini Atzeret. Nos tempos antigos, uma oferta foi levado ao Templo de Jerusalém em Shemini Atzeret. Mas uma vez o Templo foi destruído, o único ritual Shemini Atzeret o que restava era a liturgia pedindo chuva por um ano abundante. 

Depois da oração para a chuva é recitado em Shemini Atzeret, a frase Masheev HaRuach U-Moreed HaGeshem (Ele faz com que o vento a soprar ea chuva a cair) é inserido na oração Amidah até a Páscoa. judeus Ashkenazi recitar a oração Memorial, Yizkor , em Shemini Atzeret. Shemini Atzeret e Sukkot Apesar de Shemini Atzeret imediatamente após o festival de Sucot, é um feriado totalmente separados. Um novo Shehechiyanu bênção é recitada. E se alguém se senta na sucá em Shemini Atzeret, a oração recitada para sentar na sucá não é recitado. Shemini Atzeret e Simchat Torah Desde a conclusão do ciclo anual de leituras da Torá ocorreu por volta da época de Shemini Atzeret, uma tradição rabínica desenvolvido na Idade Média para celebrar a Torá em Shemini Atzeret. Esta celebração veio a ser conhecido como Simchat Torá. Simchat Torah comemora - com procissões alegres, cantando e dançando -. O fim de um ciclo de leitura da Torá eo início de um novo ciclo Hoje na diáspora, Simchat Torá é celebrada no segundo dia de Shemini Atzeret. É comum para os judeus da diáspora para se referir ao primeiro dia como Shemini Atzeret e para o segundo dia como Simchat Torá. 


Hoshaná Rabá




O sétimo dia da festa judaica de Sucot, 21° dia de Tishrei, é conhecido como Hoshaná Rabá (aramaicoהוֹשַׁעְנָא רַבָּא, "Grande Hoshaná/Súplica"). Esse dia é marcado por um serviço especial na sinagoga, na qual sete voltas são feitas pelos congregantes com seus lulav e etrog ao redor do púlpito, enquanto é recitado Hoshanot por todos. É costume retirar os rolos de Torá da arca durante esta procissão. Em algumas comunidades, um shofar é soado após cada circuito.
O último dia de Hol Hamoed Sucot é chamado Hoshana Rabá , devido a múltiplas repetições do "oração hosha - NA "(Salve-nos, por favor), disse que em todos os serviços manhã da festa, em que é habitual rodeiam a Teba com Sefer Torá, andando todos os dias e no último, Hoshana Rabá , sete, em memória de rodeios as muralhas de Jericó (Yericho). Outra obrigação deste dia é o giro é feito com as quatro espécies, que definem nossos sábios em memória da ordem para cercar o altar do Templo durante Sucot todas estas espécies. Após o rodeio, se acostumar a bater no chão de terra com um buquê de cinco ramos de Arava.

Também é costume de estudar toda a noite ou ler Tikkun Hoshana Rabá , recordando assim o ciclo anual de leitura da Torá é completada em Simchat Torá .

De acordo com o Midrash, D'us julgados em Rosh Hashaná, Kippur encontra e reafirma sua sentença em Hoshana Rabá, assim estudos hoje à noite e oração é muito importante para fortalecer nossa força espiritual que nos permite, por sua vez, a mudança projetos desfavoráveis ​​que foram decretadas do céu.

sábado, 18 de outubro de 2014

Sucot





Olá pessoal vamos atualizar as notícias por aqui.... A começar por Sucot. Sucot é um festival judaico que se inicia no dia 15 de Tishrei de acordo com o calendário judaico. Também conhecida como Festa dos Tabernáculos ou Festa das Cabanas ou, ainda, festa das colheitas visto que coincide com a estação das colheitas em Israel, no começo do outono.
É um dos mais importantes feriados Judaicos. Sucot é uma das três festas de peregrinação, em que todo o Povo Judeu vinha a Israel na Antiguidade, quando o Templo Sagrado estava lá, e ofereciam animais e cereais em sacrifício. Sucot é uma festividade particularmente alegre que combina religiosidade com elementos agrícolas. Sucot relembra os 40 anos de êxodo dos hebreus (Hebreus e não judeus, uma vez que o judaísmo surgiu após o cativeiro babilônico, onde começam a surgir as sinagogas) no deserto após a sua saída do Egito. Nesse período o povo judeu não tinha terra própria, eram nômades e viviam em pequenas tendas ou cabanas frágeis e temporárias. Como forma de simbolizar este período, durante a celebração de Sucot, os judeus fazem suas refeições sob folhas e galhos ao ar livre, em uma sucá.

Um outro nome para Sucot é o Festival da Colheita, por ser comemorada no outono, depois da colheita do verão e antes da plantação da safra de inverno. Um tema central nas rezas desta festa é a chuva. Os agricultores agradecem a D’us pela colheita do ano e rezam por chuva no ano seguinte. Uma outra explicação para o costume de edificar cabanas é o de comemorar as cabanas construídas nos campos na época da colheita e proteger a safra já colhida.

segunda-feira, 8 de setembro de 2014

Rosh Hashaná (Yom Hazicaron) - seu significado





O Dia do Ano Novo judaico não é apenas uma ocasião de alegria mas, um dia dedicado à oração. É chamado Yom Hazicaron (Dia da Memória) - quando todas as criaturas são julgadas pelo Criador de acordo com seus méritos.

Devemos lembrar que o Supremo Juiz do Universo é bondoso e misericordioso. Seu propósito não é punir. D'us apenas quer que sigamos as Leis e regulamentos que Ele nos impôs para nosso próprio bem.

Durante o mês de Elul, com a aproximação de Rosh Hashaná, tomamos a resoluta determinação de corrigir qualquer mal feito ou hábito descuidado do passado. Um sentimento toma conta do coração do verdadeiro arrependido, como se removesse um fardo pesado do passado. É o sentimento de poder recomeçar a vida como uma criança recém-nascida, sem máculas nos seus registros. São estes os sentimentos que o judeu traz à sinagoga na primeira noite de Rosh Hashaná. Ele se encontra próximo a D'us, e as orações vem da sua sincera vontade de retornar ao Criador.


fonte: http://www.pt.chabad.org/

Mensagem para Reflexão - O ser Judeu!








O orgulho de ser judeu não é pelo que você tem correndo em suas veias, mas pelo que você tem na alma! O seu ser judeu não vem pelo nome de seus pais, mas veio pelo seu espírito! A sua existência judaica não se define por quantas vezes você vai na sinagoga, mas em quantas vezes você ajuda ou ensina o seu semelhante! Não é a grafia judaica de seu nome que lhe dá o direito de se dizer judeu, mas é o seu caráter que lhe obriga a sê-lo! E sê-lo com ética, moral, e respeito, são o selo que D'us lhe impôs para você poder dizer que é! Então, saiba que para sê-lo, você deve pagar o preço justo! Muitos que querem ser judeus pelo "status". O judaísmo tem que ser manifesto de dentro para fora e só se pode dizer se esse ou aquele é judeu tendo práticas judaicas. Sabendo que tem que se esforçar para cumprir mitsvot, se esforçar para kasherizar seu ambiente e fazer Guemilát Chéssed (atos de beneficência ou de amorosa bondade).